Prefeitura de Campina desenvolve ações para coibir infrações de trânsito por avanço de sinal vermelho

Cerca de 45% das infrações são cometidas por motociclistas

A Prefeitura de Campina Grande, por meio da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), constatou aumento no número de infrações, por avanço do sinal vermelho do semáforo, registradas pelos radares de fiscalização eletrônica e pelos agentes de trânsito.

Só no primeiro trimestre de 2022, segundo a Divisão de Apoio ao Trânsito da autarquia campinense, foram cometidas 1646 infrações do tipo, sendo que 771 foram cometidas por motociclistas.

Em 2021, foram 997 infrações (486 cometidas por motociclistas) por avanço de sinal vermelho, no primeiro trimestre. O aumento de cerca de 65% de 2021 para 2022 se deve ao fato de, no primeiro trimestre de 2021, a cidade estar com baixa movimentação econômica por causa das restrições necessárias para conter a disseminação do coronavírus.

No entanto, os números de 2022 representam uma queda quando comparados aos de 2020, quando os radares e os agentes registraram 1741 infrações (662 cometidas por pilotos de motos) nos três primeiros meses do ano. Desta forma, percebe-se que, em condições normais, há uma leve diminuição de 5,5%, quando são comparados os números de 2022 e 2020.
Vale ressaltar que, em 2022, segundo dados no Núcleo de Estudos de Acidentes de Trânsito (NEAT), houve 20 acidentes em locais semaforizados.

Os cruzamentos mais críticos relacionados a esse tipo de infração são: Av. Floriano Peixoto x Manoel Sales; Av. Pref. Severino Bezerra Cabral (Av. Brasília) x Rua Raimundo Nonato de Araújo; Rua Siqueira Campos x Rua Rodrigues Alves; Rua João Quirino x Av. Vigário Calixto; Av. Floriano Peixoto x Rua Nilo Peçanha.

Ações para coibir as infrações
Para conseguir frear o cometimento de infrações por avanço de sinal vermelho, a Prefeitura de Campina, através da STTP, vem trabalhando em várias frentes:
Planejamento e estatística: o Núcleo de Estudos de Acidentes de Trânsito (NEAT) foi criado em maio de 2021 para identificar as causas dos acidentes na cidade e propor medidas rápidas para diminuir o número de mortes no trânsito;

Educação: a STTP realiza permanentemente ações de educação de trânsito em escolas, indústrias e entidades diversas. O trabalho é direcionado a crianças, adolescentes e adultos. Já o Curso de Pilotagem de Motocicletas, o Piloto Legal, formou mais de 600 alunos desde que começou a ser ministrado. Além disso, são realizadas campanhas permanentes de orientação. A mais recente teve o slogan: “Pare! Toda a Campina clama!”.

Fiscalização: há um aumento da fiscalização realizada por agentes de trânsito de rua, agora trabalhando também na madrugada, o que possibilita que haja profissionais de plantão durante 24h. São realizadas também blitzes conjuntas com a Polícia Rodoviária Federal e com a CPTran.

Tecnologia: investimento em equipamentos para reforçar a fiscalização e a organização de dados estatísticos. Dentre as tecnologias estão a utilização do drone Carcará, para realizar estudos e identificar locais de conflito onde há possibilidade de acontecer um maior número de acidentes; a utilização de talonário eletrônico por parte dos agentes; e o aumento do monitoramento viário por câmeras e radares;

Sinalização: implantação e recuperação permanente das sinalizações horizontais e verticais nos pontos onde há semáforos.
O superintendente da STTP, Carlos Dunga Júnior explica a estratégia para conter o cometimento de infrações por avanço de sinal vermelho. “Mesmo em locais com radares, os condutores insistem em desrespeitar a sinalização e colocar em risco suas vidas e as dos próximos. Em consonância com o que orientam as Nações Unidas e o programa Visão Zero, para a redução de mortes no trânsito, vamos continuar empreendendo ações em várias áreas para salvar vidas. As pessoas precisam entender que o maior problema de avançar o sinal vermelho não é a multa e sim o risco de matar ou morrer devido à imprudência”, destacou Dunga.
Serviço

Lembrando que, segundo o artigo 208 do Código de Trânsito Brasileiro, avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória, exceto onde houver sinalização que permita a livre conversão à direita, é infração gravíssima, punida com multa de R$ 293,47 e 7 pontos na carteira.

Codecom

Quer imprimir esta publicação ?

COMPARTILHAR